Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

* O sonho de um milagre *

Esta noite tive um sonho nunca antes sonhado. Talvez fruto do meu inconsciente manipulado por um desejo tão mas tão profundo, maior que o universo mas só possível através de um milagre...

 

Sonhei que estava grávida. E que ia marcar a ecografia das 9 semanas.

 

Só era preciso "o" milagre.

 pregnant3.jpg

 

Olha-M'esta...!

 

Estava eu a trabalhar com os meus alunos do 4º ano (quase meia turma) quando chega a a D. J., que é a senhora da limpeza. Como sempre vem espreitar à sala e cumprimentar. O problema é que não percebemos "batatas" do que ela diz. Não tenho a certeza mas ela é cabo-verdiana ou guineense e fala muito mal português, e o pouco que fala é muito atabalhoado.

 

Hoje disse-me "tá boa ticha? e o bebé?". Não percebi nada. Olhei para os miúdos e eles olharam para mim. Perguntei se tinha percebido o que ela disse, e eles responderam que tinham percebido o mesmo que eu.

 

Fiquei ali a matutar no assunto. Será que ela não estava com os copos? Será a minha camisola que me faz parecer grávida? Será que tenho uma barriga tão grande que ela pensou que eu tava grávida? Ou sserá que o meu lipoma está tão saliente que ela julgou que o "altinho" era uma gravidez... no estômago? Pois não sei responder.

 

Decidi que este fim-de-semana vou hibernar para não comer nem beber, gastar as energias armazenadas, dormir até mais não e segunda feira chegar à escola linda e esbelta. Que me dizem?!?

 

De Esperanças

A barriga estava já grande.

Não sei de quantos meses.

Também não sei o sexo.

Lembro-me de mexer na barriga, a acariciá-la.

Lembro-me de estar preocupada com o peso.

Para além disto estava tudo bem.

As preocupações monetárias estavam postas de lado.

Apenas a felicidade reinava e invadia os nossos corações.

O mundo era cor-de-rosa e a criança que ia nascer trazia uma promessa de mudança, de renascer e começar tudo de novo.

Desta vez com tranquilidade e sem preocupações.

O pai já tinha sonhado com ela.

Adivinhara-lhe as feições:

Uns belos olhos azuis e cabelo preto.

Os avós deliciavam-se de orgulho e contentamento.

Esta criança era fruto de um amor longo e maduro.

 

 

Sonhei que estava grávida. Isto nunca me tinha acontecido…

 

Um cheirinho a Outono

                           

Parece que o Outono já se deixou de vergonhas e quer instalar-se. Hoje já deu um ar da sua graça: umas gotinhas de chuva e um friozinho agradável. E até o cheirinho tão típico das castanhas assadas já se sente no ar.

Fez-me falta apenas uma coisa – o cheiro a terra molhada.

Lembrei-me de quando era miúda e se começava as aulas mais ou menos nesta altura. Até as estações do ano eram diferentes. Lembro-me do Outono ser ventoso, espalhando as folhas das árvores, de tonalidade laranja depois do sol de verão, do céu cinzento e da chuva. Costumava apanhar as folhas das árvores e fazer trabalhos para a escola sobre o Outono ou então guardá-las religiosamente entre as folhas dos livros.

Agora já não é assim. Não vejo folhas no chão. E muito menos daquela tonalidade. O calor continua e a chuva, a pouca que cai, deixa saudades.

 

Lembram-se de vos ter contado sobre a confusão à porta da escola primária ao pé da minha mãe? Hoje a saga continuou. A escola teve direito a correntes e cadeados a trancar as portas e a RTP1 a inteirar-se do assunto. Não sei se passou alguma coisa na tv. Eu não vi.

Resumo da história: um ciganito levou uma faquinha pequenina e uma pistola de brincar para a escola e meteu-se com uma miúda. O avô da miúda não vai de modas, vai à escola com um facalhão ameaçar o ciganito. Mostra-lhe o facalhão e diz-lhe que se voltasse a meter-se com a neta, lhe espetava a faca toda. O cigano pai não gostou, tal como nenhum outro pai teria gostado, e fez queixa.

Afinal quem foi aqui o mau da fita? O ciganito ou o avô?

 

Ouvi uma notícia que me repugnou imenso. A de uma criança espanhola de 11 anos grávida. Gravidez esta que pode ser fruto de uma violação. Não consigo engolir estas coisas. E ainda por cima como é menor, é preciso autorização dos pais para fazer a interrupção da gravidez. E se os pais não derem autorização? Vai ter um bebé sem ter uma estrutura física ou psicológica preparada para isso? O que vai ser desta miúda? E deste bebé? Em vez de estar a brincar com bonecos, esta criança está a viver uma situação terrível…

Infelizmente a inocência das nossas crianças vai desaparecendo cada vez mais cedo…